16/10/13

Short Story - Aristocrat fantasy

Capitulo 3
A flor começa a desabrochar

Olhava aqueles dois desconhecidos, não seria mesmo um sonho que estava a ter? Contudo aquele tal de Vincent parecia estar a ser honesto com ela, não tinha tanta confiança com Albert pois lhe parecia ter um ar meio amalucado.
Acabou aceitando a proposta, ao certo também não conhecia mais ninguém que a ajudasse sendo assim aqueles dois seriam a salvação dela.

Vincent não esperou que o baile terminasse para voltar para casa com Lis, pediu a Al que dissesse que tinha tido uma mal disposição e por esse motivo se ausentara daquela festividade exclusiva para nobres, o caminho até sua casa fora um pouco longo e por causa da chuva intensa a carruagem teve que parar várias vezes sendo que só chegaram a meio da madrugada, era uma casa bastante luxuosa podia-se dizer mesmo que era uma mansão, tão bela e detalhada.
Lis nunca tinha visto uma casa como aquela, Vincent começava a achar que Lis devia ser de uma família bastante pobre para nunca ter entrado numa mansão daquelas, acompanhou-a até um quarto e disse que poderia descansar lá sem ser incomodada.
E enquanto Lis pode descansar naquela cama fofa  e quentinha, Vincent em seu quarto pensava como dizer ao seu pai que se recusava casar com Nicole, era bastante inteligente e não demorou muito a achar uma solução.
Logo pela manhã seguinte mandou chamar as melhores costureiras dos arredores telefonou mandou avisarem com urgência o seu pai que no próximo dia teria um anuncio importante para fazer á família, e entretanto isso teria tempo para falar com calma com Lis pois tinha ficado interessado em saber mais sobre a sua história.
Soube por uma das suas  criadas que a senhorita já estava acordada e que já estava a discutir como queria os seus vestidos com as costureiras, feliz por saber que a sua futura noiva já estava acordada rumou até ao quarto dela  e mesmo antes de bater á porta ficou impressionado por ouvir tanto barulho que acabou mesmo por nem bater á porta.
Deparou-se com as costureiras a fazerem um algazarra por não conseguirem fazer Lis estar quieta para lhe apertar o espartilho de imediato tapou os olhos pois seria um pecado ver a menina naqueles termos.
_De…desculpem não… não era minha intenção ver nada_ Já ia recuando para sair quando Lis puxou-lhe pelo braço.
_Vincent, por favor ajuda-me estás mulheres querem tentar-me esganar!
_ Esganar?_ Arregalou os olhos e não teve como olhar para ela.
Só entendeu que era apenas uma confusão depois de uma das avocetas lhe explicar o mal entendido, começava a achar que Lis era uma mulher estranha, estranha até demais, contudo ela tinha vindo do futuro, talvez fosse isso.
Durante o almoço descobriu que ela não sabia nada sobre etiqueta alguma que era tão importante para a postura de uma bela senhorita como ela, já não deva tempo de chamar um professor para lhe ensinar algumas regras por isso fora o próprio Vincent que lhe ensinou o básico.
Mas entre os ensinamentos dele perdiam algum tempo conversando entre a diferença das épocas, ficou saber da existência de carros a motor no futuro, da eletricidade, da televisão e de outras coisas mais, algo que começava a fascinar o jovem Vincent que começava a desejar conhecer o ano de 2013.
Mas não podia suas raízes não era num futuro longinco situavam-se naquele presente  e era lá que ele devia ficar, isso entristecia-o um pouco porque gostava de conhecer todas aquelas coisas que Lis lhe tinha falado.
Ao final do dias já existia uma amizade entre eles, algo que eles mesmo não tinham reparado, apenas achavam que se tratava de interesse para alcançarem os seus objetivos o que já não era de todo, os sentimentos começavam a distorcer a realidade, o que não devia de interferir no negócio daqueles dois.
Dia seguinte
Os seus convidados começaram a chegar cedo e não era surpresa para ninguém que Nicole também estivesse presente, ninguém sabia qual o assunto que Vincent iria discutir apenas estranhavam ele estar acompanhado de uma bela dama vestida de lilás.
No término do longo jantar ganhou coragem e anuncio que não se casaria mais com Nicole pois tinha encontrado o amor da sua vida, era uma meia mentira que os seus convidados acreditaram e que ofendia Nicole.
Não acreditava que tinha sido recusada por um dos homens mais belos de Paris, não podia aceitar isso, não aceita ainda para mais ser trocada por uma jovem que ninguém nunca tinha ouvido falar.
Não restava outra solução se não usar o trunfo que tinha na manga, acabaria com aquele noivado em pouco tempo e voltaria a ser novamente a noiva de Vincent num estante.

Mas toda essa confiança poder-lhe-ia trazer azar.

6 comentários:

  1. A Nicole no fundo bem esperava que o Vincent aprontasse alguma para não se casar com ela... A impressão que tenho é que ele não tem noção de quem é Nicole realmente e do que ela é capaz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Nicole é bastante desconfiada e ciumenta, ela tem que ter sempre algo em seu favor para se sentir segura.
      E o Vincent sendo um jovem bastante bonito tem muitas pretendentes, ela tem arranjar alguma forma de acabar com elas...

      Eliminar
  2. tem que arranchar o mais rápido possível!
    Gente bonita atrai de mais pessoas, e homens nem me fale...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo, Vincent é um deles , não é que boniteza seja pecado, mas causa problemas desnecessários pelo menos para ele...

      Eliminar
  3. Nicole tem algo preparado para vincent... o que será

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amanhã postarei o capitulo 4 e já saberás :)

      Eliminar

O teu comentário é sempre bem-vindo
Gostamos de saber a tua opinião
Comenta!